sábado, 19 de janeiro de 2013

"OS ANOS 80 NO BRASIL"



Uma década inesquecível, podemos chamar de ANOS INCRÍVEIS em todos os sentidos, seja nas series de tv,na moda,nos programas de tv, no cinema na música; e no Brasil nao poderia ser diferente; no rock, o punk se renova, mais acelerado e intenso(como no hardcore).
Já o hard rock também recebe novas influências, com batidas mais fortes e sons de guitarras mais pesados,o que trouxe ao público um dos gêneros musicais mais populares da década: o heavy metal,
que, na sequencia, também gerou inúmeras vertentes ainda mais rápidas e pesadas, como o trash metal,speed metal e o black metal.

No Brasil Alguns exemplos que se destacaram na década neste gênero do rock foram as bandas: Platina,Cherokee,Korzus,Obskure,etc.
Outras inúmeras bandas de rock e pop surgiram nos anos 80,Algumas, surgidas no anos 70,mas
só se consolidaram na década de 80; no Brasil, RPM, Ultraje a Rigor, Titãs, Legião Urbana,
14 bis, Barão Vermelho,Kid Abelha, Ira! entre outras.
No inicio da década,Surge o movimento BRock ou Rock Brasil e com ele a consolidação do Rock nacional, as bandas nacionais despontavam e ocupavam cada vez mais espaço na programação das rádios, nos programas de auditório na TV e até no cinema. Eram ousadas,
contestadoras e geograficamente dispersas.
A Blitz surge como uma bomba alavancando o rock nacional,Ritchie com sua menina veneno dispara nas paradas de sucesso, perdemos Cazuza e Raul Seixas deixando o rock Brasileiro mais pobre,a musica sertaneja domina as mídias causando protestos e reclamações, o Axé Music explode no
Brasil,influenciando o surgimento de vários grupos de Pagode.
Os anos 80 são conhecidos também como a década da música eletrônica. Nesta época, o New Wave e o Synthpop se tornam os gêneros musicais mais vendáveis e populares,
assim como toda a estrutura da Dance Music.
Surge o hip hop; advento da música eletrônica nas pistas de dança e as primeiras raves.
No underground é criado o rótulo "música industrial" para bandas eletrônicas mais experimentais e obscuras,
além de diversas bandas de rock de garagem que dariam origem ao grunge na década de 1990.
Foi nos anos 80 que surgiu a vertente da música que mais originou variantes, a House music. Inspirada em experimentações sobre batidos dos anos 70, principalmente a disco music, teve como principais representante: Bomb the bass, S'express, gino latino, coldcut, entre outros.no Brasil ela somente destronou outros ritmos em 1989, quando o Mega Hit Pump Up the Jam (Technotronic) invadiu as pistas do Mundo
Inteiro, tornando a Dance Music uma mania mundial.
Com o surgimento desse hit no Brasil, a House ficou popularmente conhecida como "poperô".
Em 83 surgiu no underground a sub-cultura gótica na Inglaterra, denominada incialmente como
"Dark" no Brasil sendo esta derivada do gênero Pós-punk.
No Brasil foi lançado o primeiro Rock in Rio (1985).
Consolidavam-se o estilo musical da MPB, ou música popular brasileira (surgido na segunda metade da década de 60),e as bandas de música pop e de rock and roll, como Legião Urbana, Ultraje a rigor, Engenheiros do Hawaii, Titãs, RPM, Claudio Zoli (com a banda Brylho e Solo). A MPB consagrou a posição de destaque das vozes femininas na música brasileira; entre os fenômenos individuais destacam-se Elba Ramalho, Simone, Marina Lima, Maria Bethânia, Zizi Possi, Fafá de Belém, Gal Costa, Rita Lee, Rosana e Joanna.
Dentre as vozes masculinas, Caetano Veloso, Chico Buarque, Milton Nascimento, Tom Jobim, Guilherme Arantes,Flávio Venturini, Ivan Lins e Gilberto Gil.
Também foi nos anos 80 que a musica brega se popularizou o termo "brega" passou a ser cunhado largamente na imprensa brasileira pelos meios-de-comunicação para designar, de maneira pejorativa,
música de sem valor artístico.Embora sem uma conceituação aprofundada, a pecha servia para designar
uma "música de mau gosto, geralmente feita para as camadas populares, com exageros de dramaticidade e/ou letras de uma insuportável ingenuidade".Era o caso por exemplo do trabalho de cantores da linha romântica "cafona",como os ainda populares Amado Batista e Wando, ou de outros cantores românticos constantemente presentes em programas de auditório da TV, como Gilliard, Fábio Junior e José Augusto.

Por Renata Bianca